segunda-feira, 5 de junho de 2017

Praga de Javalis

Os javalis tornaram-se numa praga e já provocam "centenas" de acidentes nas estradas, além de prejudicarem a pequena caça e transmitirem doenças, segundo a opinião do ICNF e da Associação Movimento Caçadores Mais Caça.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Será o princípio do Fim???

O assunto mereceu um excelente artigo do senhor Eng. Nuno Melo, que também é caçador.
Agora compete a todos e a cada um de nós.... fazer o que falta ser feito. Cumprimentos cinegéticos.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Doenças na Caça

Caçadores alertam para doenças na caça. Caberá aos inspetores sanitários determinar a carne com condições para o consumo. Leia a notícia completa em: http://www.cmjornal.pt/do dia 2 de maio de 2017.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Afinal porque somos tão poucos?

Razões endógenas 1. - O ICNF, a quem cabe a gestão da caça, não aplica um cêntimo no setor. 2. –Perdeu-se a velha tradição de o gosto pela caça passar de pais para filhos (emigração, deslocação dos jovens do interior para as grandes cidades, para estudar e trabalhar). 3. Os jovens hoje têm muitas distrações e nem precisam sair de casa (videojogos, redes sociais...). 4. As vozes contra a caça e os caçadores são hoje mais sonoras, mais visíveis e com mais poder – associações de defesa da natureza e dos animais, que acusam os caçadores de caçar “apenas por prazer”, de dizimar as espécies cinegéticas, de matar espécies protegidas, a tiro, com armadilhas e envenenamento, e de maltratarem a natureza e os animais, nomeadamente os cães de caça.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Poucos Caçadores em Mondim?

Razões porque somos poucos: Razões exógenas 1.- Caçar é uma actividade cada vez mais cara. Tirar a Carta de Caçador, válida até aos 60 anos e a partir daí renovada de cinco em cinco anos, custa 17,5 euros para menores de 25 anos e 35 euros para maiores de 25 anos. Já a licença anual a nível nacional fica por 60 euros e 30 euros se for regional. A isto junta-se a compra de uma arma pelo preço mais baixo no mercado, 1200/1300 euros, munições, licenças (uso de porte de arma, registo criminal, boletim médico), seguros, pagamentos para caçar em zonas de caça, vacinas e alimentação de cães, vestuário e deslocações. E mais um número de taxas e taxinhas próximas de 10 milhões de euros por ano em taxas, e nenhum pilim é aplicado na caça. 2.Deserto cinegético. Devido às doenças de algumas espécies cinegéticas, especialmente do coelho, que quase desapareceu devido principalmente à acção de duas doenças víricas: mixomatose e doença hemorrágica viral (DHV). Em 2010, foi identificada uma nova variante do vírus responsável pela DHV. 3.Alterações climáticas responsáveis pelo desaparecimento de espécies de arribação, como os pombos bravos ou as galinholas, que migram menos para o país.